quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

A Turma do Pererê - Por Alan Viggiano

Cartunista Edra e Alam Viggiano num  encontro em Brasília em 2009


Alan Viggiano*

Circulou durante os anos de 1960 a 1964 a revista da Turma do Pererê, criação do cartunista Ziraldo, a única com temas e personagens tipicamente brasileiros. Esses eram amigos cujos nomes foram aproveitados pelo Ziraldo na construção da revista: Paulo Nogueira (a Coruja); Antônio Pimentel Pontes e Maria Francisca Arreguy Pimentel (Pimentel e Quiquica, o casal de João-de-Barro); Galileu Bonifácio da Costa (a Onça); Pedro Nunes Vieira (o Tatu); Moacyr Viggiano, meu irmão, (o Jabuti); e Geraldinho, (o Coelho) irmão mais novo do Ziraldo. O macaco das histórias se chama Alan, em homenagem a este modesto foliculário. A revista seria várias vezes reeditada.
No carnaval de 2005 a Empresa São Geraldo, de Caratinga, patrocinou uma ala na Escola de Samba Nenê da Vila Matilde, de São Paulo, em homenagem ao Ziraldo; e ali levou para desfilar a “Turma do Pererê”, comparecendo: o Pedro Vieira, o Galileu, o Geraldinho, eu, e alguns amigos do Ziraldo, entre os quais Sérgio Cabral e Miriam Leitão.
A jornalista Cleusa Maria de Souza Nunes Vieira, em um texto exemplar intitulado “Uma aventura brasileira”, descreveu assim a turma do Pererê:
A Turma do Pererê é uma obra de Ziraldo, onde imaginação e magia se fundem, dando origem a histórias culturais com profundo senso de realidade. Segundo o autor, os nomes dos personagens foram buscados na vida real, para não desumanizar o personagem e não afastá-lo da realidade do leitor.
Os integrantes da Turma do Pererê são: Alan, Galileu, Geraldinho, Moacyr, Quiquica e Pimentel, Paulo Nogueira, Pedro Vieira e Ziraldo.
Um dos personagens da turma é o Saci. Segundo Ziraldo ele é o símbolo mais bonito do Brasil. “Não estou falando do meu personagem. Falo do Saci Pererê, que já existia antes de se instalar definitivamente em nossa revista. O Saci é Brasil. É alegre, inteligente, sonhador, matreiro, corajoso, sabe dar um jeito em tudo. É o Brasil. O Saci está em cada um de nós, da favela aos cafezais.”
Na opinião de Pedro Nunes Vieira, que integra a Turma do Pererê, essa é uma história de amizade que começou em Caratinga, virou história em quadrinhos e continua firme até hoje. Segundo ele, em Caratinga o grupo formou uma equipe de basquete, o VIGAPEPIZI, sigla criada pela primeira sílaba do nome de cada um dos integrantes: Vi de Viggiano, Ga de Galileu, Pe de Pedro, Pi de Pimentel e Zi de Ziraldo. Selamos um acordo para manter a turma unida e até criamos um slogan: Um dia há de chegar em que tudo há de voltar”.
E foi assim. Mesmo morando em Belo Horizonte, quando se mudaram para a capital mineira em busca de um lugar na universidade, continuaram unidos. Na pensão onde moravam, Ziraldo já fazia seus desenhos que mais tarde se tornariam famosos.
No ano de 2010 foram realizados, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, grandes festejos do cinquentenário do lançamento da Revista do Pererê.

* Alan Viggiano é jornalista e escritor

Nenhum comentário:

Postar um comentário